22 fevereiro 2007

Descubra as Diferenças

Em semana de números redondos, a questão é inevitável: o bom, o mau e o péssimo em 2 anos de governo de José Sócrates. Não há óptimo? Alberto João Jardim, ou quem ganha e quem perde com a sua demissão. Sonae/PT: falhanço anunciado de uma OPA, ou nem por isso? E música, quem traz?
Em estúdio, Antonieta Lopes da Costa, Paulo Pinto Mascarenhas, Pedro Marques Lopes e Rodrigo Moita de Deus.

Descubra as Diferenças,
6ª- 19h/ Domingo- 11h e 19h

Etiquetas:

23 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Estamos à vossa espera...

23 fevereiro, 2007 12:16  
Anonymous Anónimo said...

Estamos à vossa espera

23 fevereiro, 2007 12:16  
Anonymous João said...

pois, isso já todos percebemos.

23 fevereiro, 2007 12:24  
Anonymous Lídia Araújo said...

Sexy PPM online. O nome passa a ser este e mais nenhum!

23 fevereiro, 2007 17:04  
Anonymous Maria Sou Eu said...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

24 fevereiro, 2007 03:13  
Anonymous Anónimo said...

bom programa... gostei da música do Zeca

24 fevereiro, 2007 18:01  
Anonymous Anónimo said...

Depois de terem convidado o seboso do Daniel Oliveira só faltava ouvir o Zeca Afonso no Descubra as Diferenças. Digo faltava porque já não falta. Desconhecem intelectuais, opinadores, artistas à Direita para até nas únicas janelas de «ar fresco» termos de levar com os ícones e vozes da extrema-esquerda?? Não se percebe por que tal acontece e seguramente não é por cortesia porque junto da da extrema-esquerda não se descortina tolerância, diálogo ou espírito democrático ou uma atitude semelhante à vossa. Portanto vejam se se concentram no fundamental, na vossa missão, e deixem de piscar o olho aos herdeiros dos tiros na nuca e dos campos de concentração para os que não opinavam como eles. Os senhores não tem de lhes agradar nem de lhes pedir licença para se exprimirem. O que se espera de vós é que tragam ideias, vozes e artistas do vosso/nosso campo político e não zecas e danis.

25 fevereiro, 2007 13:16  
Anonymous jazza-me said...

O Descubra as diferenças, é um programa de parceria com a revista Atlântico é certo, mas pretendendo sempre ser um programa de opinião livre e contraditório, e com opiniões plurais, como sabe... se o incomoda assim tanto que pessoas de direita (com exceção da imoderadora) escolham uma música do Zeca Afonso, ou convidem o Daniel Oliveira o problema é seu... lamentamos mas não deixaremos de escolher as músicas que quisermos, ou convidar quem bem nos apeteça... é assim em plena liberdade que é o espírito que nos move!

25 fevereiro, 2007 13:53  
Anonymous Anónimo said...

Não tenho dúvidas que espírito que vos move é o de plena liberdade (e ainda bem!), mas então porque teimam em convidar ou evocar quem sempre gostou de sarcear a liberdade dos outros? Acho positivo que se teçam pontes com pessoas da esquerda liberal, como a Atlântico já fez inúmeras vezes. Também não discuto os critérios estéticos da música do José Afonso mas quando se fala desse cantor é de uma bandeira, de um ícone extremista que estamos a tratar. Custa-me ver liberais de direita a celebrarem um radical de esquerda, situado nos antípodas do pensamento liberal, como se constacta ouvindo várias das suas canções. O prolema nem sequer é meu, porque quando achar que a coisa passou dos limites rodo o botão da rádio. O problema é da Direita portuguesa que continua a curvar-se à esquerda. Essas atitudes de (alguns) «Atlânticos» nem sequer são originais. Há mais de 30 anos que vejo esse estigma na Direita. Recordo que recentemente criticaram abundantemente Freitas do Amaral nesse programa... vejam lá se não acabam como ele!

25 fevereiro, 2007 16:07  
Anonymous jazza-me said...

Ora nem mais... o Sr. ou a Sra ouve-nos quando quiser e quando não quiser não nos ouve!
Bem haja!

25 fevereiro, 2007 19:54  
Anonymous Alain Peuch said...

Avez vous remarqué, "Mémoires Amies" do ZÉCA ?

Avez vous remarqué que lorsque "Jazza-me muito" a le courage de programmer une chanson de Monsieur José Afonso, il y a toujours et encore dans ce pays une ou des "mouche(s) à merde" attirée par ce pot de miel, et qui vient(nent) nous déranger dans cet hommage même si "furtif" que lui a rendu cette fréquence F.M. très "sympa." ?

A l'anonyme, à la mouche: je ne sais malheureusement pas écrire dans votre langue, mais je sais la lire et je fus très incommodé par l'odeur, à commencer par cette odeur d'anonymat...

Merci "Jazz-me muito" pour la programmation de cette chanson, mais aussi pour votre réponse très "insecticide et assainissante"...

25 fevereiro, 2007 23:20  
Anonymous Anónimo said...

M. «mouche à merde», aprés vous lire j'ai des doutes que vous comprenez le portugais. mais c'est grave. au revoir.

26 fevereiro, 2007 00:03  
Anonymous Alain peuch said...

Merci pour m'avoir confirmé votre identité.

Dans ma langue "diplomatique" que vous semblez maitriser parfaitement je vous laisse ce cadeau:
"Sale Hasard"...

Mais attention de ne pas les prononcez trop fort, des voisins "terroristes" pourraient les entendre...

Je vous tire ma révérence: en Portugais:
ADEUS.

26 fevereiro, 2007 00:55  
Anonymous Anónimo said...

la prochaine fois que pensez faire une ironie soyez plus original. bien avant vous déjà Simone de Beauvoir faisait ce jeux de mots. Dans le prèmier commentaire je vous a imaginez un célinien de 5émè categorie, mais maintenant je voit que c'est plutôt le plagiat. Para não falar na típica arrogância imperial francesa de imitir opinião sobre um assunto que lhe passou completamente ao lado.

26 fevereiro, 2007 01:39  
Anonymous Alain Peuch said...

C'est tout ce que vous avez retenu de Simone de Beauvoir ?

Je comprends et je vous plains, ce jeux de mots a du vous faire terriblement mal.

Mais s'il vout plait, ne m'exposez pas ainsi vos cicatrices !

Un conseil: ne vous hasardez pas lire J.P. Sartre, cela pourrait vous être FATAL!

26 fevereiro, 2007 01:58  
Anonymous Anónimo said...

M. Peuch, não seja medíocre. Primeiro mete-se numa conversa sem perceber o sentido da mesma. Recorre ao insulto gratuito, tenta ser irónico plagiando outros e mesmo depois de ser «descoberto» ainda tem a arrogância atrevida de dar conselhos. Tenha juízo. Aquí, a única fatalidade é encontrar tipos menores, como o senhor, a julgarem-se grandes intelectuais.

26 fevereiro, 2007 10:02  
Anonymous Anónimo said...

Então meus senhores! um pouco de contenção

26 fevereiro, 2007 10:26  
Anonymous Alain Peuch said...

Merci à tous les anonymes qui ont pour l'instant réagi:

J'ai enfin compris avec vous ce mot que vous avez décapité: "EVOLUTION"...

OBJECTIF ATTEINT !

26 fevereiro, 2007 12:14  
Anonymous Anónimo said...

voilá, maintenant vous savez que vous n'etiez pas a Martinique.

26 fevereiro, 2007 12:39  
Anonymous Le "sans culotte" said...

Absolument d'accord !

VIVE LA BANANE DE MADERE LIBRE !

Beijinhos.

26 fevereiro, 2007 14:31  
Anonymous Anónimo said...

Sim sim senhores! Aqui vai um grande debate realmente...
Bem, o que ensinaram-me e que a Liberdade com um L é um luxo neste mundo... Pessoalmente acho interessante ouvir com quem eu não concordo… Estabelecer a minha uma opinião PROPRIA só para ficar mas atenta e culta… Pode sempre servir para o futuro não?
Por esse caminho, ainda acreditava que a terra não é redonda..
Não me digam que ainda existe assuntos TABOUS ou SENSURADOS?
Será?

28 fevereiro, 2007 12:12  
Anonymous João António said...

Acho que ficou aqui o testemunho de que os temas não têm censura, mas que há temas que provocam sempre reacções de um lado e do outro...ouvir opiniões que são contrárias às nossas é sempre positivo.
Bem hajam!

28 fevereiro, 2007 12:31  
Anonymous Sans culotte said...

Le courage, quelque soit le point cardinal d'où le vent souffle, c'est un désir, une foi, une âme, au pire, plus qu'une seule raison de vivre...
Autrement dit "des bagages" qu'aucun douanier ne pourra jamais nous taxer...

Mais au quotidien, c'est votre nom, un nom que je salue; Monsieur João Antonio...

(Putain ! cet accent aigu sur le O, là vous abusez...).

Alain.

28 fevereiro, 2007 14:23  

Enviar um comentário

<< Home